Empréstimo para MEI: como aproveitá-lo em um novo imóvel comercial

Empréstimo para MEI: como aproveitá-lo em um novo imóvel comercial

Erguer a própria empresa exige talento para observar o mercado e também capital para investimento. Quando o assunto é a escolha de um imóvel comercial para instalar uma nova loja ou a sede da companhia, é preciso ter atenção para não comprometer muitos recursos e gerar dívidas com juros altos.

Mas outra etapa importante é iniciar a operacionalização das atividades, compra de móveis, maquinário e algumas reformas desse novo imóvel. Uma boa alternativa para essa fase do empreendimento é o empréstimo para MEI — Microempreendedor Individual.

Os microempreendedores individuais podem utilizar linhas de créditos especiais para realizar reformas e investimentos no imóvel, a fim de melhorar o negócio. Esses modelos de empréstimos são operados, principalmente, pelos bancos públicos, como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Eles possuem vantagens que agilizam a liberação dos recursos, mas é restrito para investimentos na empresa.

Quer ter mais informação de como aproveitá-lo? Saiba mais sobre o empréstimo para MEI!

Como funciona o empréstimo para MEI

O empréstimo para MEI consiste em um programa nacional com base na Lei Complementar 128, de 2008. Um MEI se caracteriza por ter renda bruta anual de até R$ 60 mil, ter no máximo um empregado dentro da empresa e não ser sócio de outra companhia.

Há ainda uma lista de atividades econômicas previstas na Resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional associadas ao MEI. A formalização como microempreendedor individual deve ser feita no Portal do Empreendedor e é um processo eletrônico, basta anexar os documentos necessários.

O Sebrae ainda oferece orientação gratuita no processo e, além das vantagens para empréstimos, há outros benefícios, como orientações para os negócios. Em 2016, o número de MEIs no país superou, pela primeira vez, o número de micro e pequenas empresas, comprovando que o programa tem ajudado muitos novos empreendedores.

empréstimo para MEI

Documentos básicos

A partir da formalização da atividade, o microempreendedor pode buscar algum banco para solicitar o empréstimo para MEI. Nesse momento, são avaliadas as condições financeiras dos empreendedores e solicitada a documentação.

Cada banco ou instituição financeira pode ter processos semelhantes que variam também conforme a linha de crédito escolhida, mas os documentos básicos são: CPF, RG, CNPJ, comprovante de residência e o Certificado de Condição do Microempreendedor Individual — CCMEI. Alguns bancos ainda possuem uma Ficha de Cadastro do MEI, que é preenchida no momento do contrato.

Linhas de crédito e microcrédito para MEIs

O MEI pode utilizar linhas de créditos especiais para investimentos no seu negócio. Esse recursos são chamados de microcrédito e possuem taxas e vantagens específicas, que podem ser usadas para reformar um imóvel, comprar equipamentos, móveis e máquinas para operar a empresa no novo lugar escolhido.

O microcrédito é um empréstimo com valor pequeno, acessível ao Microempreendedor Individual. Sua principal vantagem está na forma como é obtido sem burocracia e com taxas de juros e custos de transação bastante baixos, em comparação a outras linhas. Em alguns casos, também não é necessário a apresentação de garantias reais.

Os principais bancos de empréstimos para MEI são o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico Social — BNDES — também opera uma linha de microcrédito com vantagens para MEIs. Conheça as linhas de microcrédito e veja se alguma se encaixa melhor no seu perfil:

banco

Microcrédito Produtivo Orientado — Banco do Brasil

Essa é a linha de empréstimos para MEI do Banco Brasil. O crédito contratado pode ser usado para fluxo de caixa ou para melhorias no imóvel comercial que ajudem no funcionamento da atividade econômica, como compra de equipamentos, móveis e ferramentas.

O programa também oferece orientação e acompanhamento durante o período de utilização do crédito, para ajudar no desenvolvimento da empresa. Os valores são definidos na hora da contratação, mediante avaliação das condições financeiras do MEI e o tempo de pagamento das parcelas são de até 12 meses para empréstimos com finalidade de fluxo de caixa e até 18 meses para finalidade de investimentos. Em nenhum dos casos é cobrado Imposto sobre Operações Financeiras — IOF.

Microcrédito Produtivo Orientado — Caixa

Também voltado para a compra de materiais, equipamentos ou melhora do imóvel comercial, a linha de microcrédito da Caixa Econômica Federal possui algumas diferenças em relação ao Banco do Brasil. A primeira está no prazo de pagamento que é de até 24 meses, porém na primeira contratação esse prazo é de apenas 12 meses.

Os valores de empréstimo para MEI variam de R$ 300,00 a R$ 15 mil, conforme a capacidade de pagamento do empreendedor. A taxa de Juros é de 2,95% ao mês e também não há cobrança de IOF. É cobrado ainda um valor de 3% sobre o valor do empréstimo da Taxa de Abertura de Crédito — TAC.

BNDES Microcrédito — Empreendedor

BNDES também oferece uma linha de microcrédito, com a vantagem de o valor máximo de empréstimo para MEI ser de R$ 20 mil. Assim como BB e Caixa, a finalidade deve ser fluxo de caixa ou investimentos no imóvel e maquinário para o operacionalização da atividade.

Os juros são negociados na hora do contrato, mas ficam restritos ao máximo de 4% ao mês. O tempo máximo para o pagamento das parcelas também é negociado na hora do contrato.

Atenção na hora de contratar empréstimos

É também importante planejar com atenção as contas da empresa para evitar complicações para pagar o empréstimo. Ainda que os juros sejam menores, é preciso planejamento para arcar com as parcelas e, por isso, é relevante projetar as despesas do seu negócio até o encerramento do contrato de empréstimo.

Um bom plano é sempre ter muito claro no que o valor adquirido no empréstimo será investido exatamente e um orçamento detalhado desses móveis, reformas e maquinários ajuda a ter esse controle. Na sequência, a projeção de crescimento a partir desse investimento pode responder como será a viabilidade do pagamento do empréstimo. Deve-se priorizar a saúde financeira da empresa, somente dessa forma o microcrédito cumprirá a função de melhorar e crescer seu negócio.

Tem um negócio próprio? Comente no blog e conte sua história de sucesso!