Vale a pena reformar ponto comercial alugado?

Vale a pena reformar ponto comercial alugado?

Muitos empreendedores se perguntam: vale a pena, ou não, reformar ponto comercial alugado? Mudar alguns aspectos do imóvel pode deixá-lo mais personalizado e isso pode melhorar o desempenho do seu negócio.

No entanto, também existem alguns contras. Assim, se você está incerto sobre a reforma, este post poderá ajudá-lo bastante. Reunimos as principais análises que você deve fazer antes de tomar a decisão.

Confira e tire suas dúvidas!

A análise do orçamento

Como qualquer modificação gerará impactos financeiros, sua primeira preocupação deve estar na análise do orçamento. Conhecer, prever e se preparar para os gastos é essencial para que as melhorias não se tornem um problema financeiro.

Já que essa etapa é tão importante, o ideal é que seja feita sem falhas, não é mesmo? Então, veja quais aspectos considerar.

Conheça a situação e a conservação da propriedade

Para ter uma ideia de como será o processo de transformação, faça um diagnóstico da condição atual do imóvel comercial. Veja se é uma estrutura nova ou antiga e quais problemas ela apresenta. Quanto maior for a reforma, mais elástico deverá ser o orçamento.

Por outro lado, se o local é novo (e está em uma das primeiras locações), vale considerar se a reforma é mesmo necessária. Às vezes, pequenas modificações já ajudam a chegar no resultado esperado. Por isso, vale a pena entender que tipos de reformas são interessantes no local.

Elabore uma projeção financeira

Depois de estudar o ambiente, faça um levantamento dos custos de se reformar o ponto. Elabore um projeto inicial para pensar quais serão as etapas exigidas.

Então, faça a cotação com profissionais e empresas do ramo. Não se esqueça de considerar os preços dos materiais e até da documentação. Tudo isso fará parte do orçamento e deve caber no caixa. Do contrário, a modificação não é viável.

Avalie a necessidade de dinheiro extra

Embora prever o orçamento seja importante, é muito comum que ele não seja seguido na ponta do lápis. Reformas sempre tendem a esbarrar em imprevistos que, provavelmente, vão resultar em novos gastos.

E não há porque sofrer com isso!

Por outro lado, você deve estar preparado e, nesse sentido, o ideal é ter um dinheiro extra — como 10% a 20% do valor previsto inicialmente. Assim, a dor de cabeça será menor.

As regras do contrato

Antes de colocar a mão na massa, é preciso entender se a reforma é viável. O contrato é o documento que regulamenta a relação de locação, então ele deve ser considerado antes de tudo.

Para não ter dúvidas nesse momento, entenda como avaliar as regras do seu contrato e veja quais pontos são essenciais.

Lei do Inquilinato

A Lei 8.245/1991 ou Lei do Inquilinato define algumas condições para as reformas. Segundo o Art. 23, o inquilino não pode modificar a forma interna ou externa sem autorização prévia do proprietário.

Do contrário, o contrato pode ser rescindido e levar à cobrança de multa. Portanto, respeite todas as cláusulas. Veja se o documento fala especificamente sobre modificações, se proíbe ou se flexibiliza algumas transformações internas etc.

Negociação de permissões

Diante da decisão de reformar o ponto comercial alugado, é essencial solicitar a permissão para o locador. Essa etapa é executada já com o projeto estruturado, pois ele precisará ser discutido e aprovado, se for o caso.

Essa negociação serve para que o proprietário apresente suas condições específicas e o que não pode ser feito, em nenhuma hipótese. A fase é obrigatória para evitar o descumprimento das cláusulas descritas no contrato.

Negociação de abatimentos

Esta é uma dica valiosa para o seu bolso: durante o contato para obter permissão, também é possível falar sobre prováveis abatimentos nos custos com o aluguel. Afinal, uma reforma tende a valorizar o imóvel.

Por isso, aproveite acerte detalhes como a isenção de alguns aluguéis ou mesmo a redução do valor a ser pago, durante um período.

O contexto do seu negócio

Outro aspecto essencial consiste em conhecer bem a sua empresa, de modo a entender se é o melhor período para fazer a reforma. Com esse cuidado, dá para tomar decisões acertadas e que favorecem o empreendimento.

Veja o que analisar.

Realidade financeira da empresa

Antes de pensar em reformar ponto comercial alugado, veja se as condições financeiras do negócio permitem isso.

Mesmo que tenha o valor disponível, confira se não é melhor investir em outra coisa ou preparar-se para uma baixa nas vendas, por exemplo.

É muito importante ter uma visão financeira clara do que está acontecendo, afinal, se seu negócio passou por dificuldades recentes, talvez seja mais interessante deixar a reforma na gaveta por um tempinho.

Maturidade do empreendimento

Também é indispensável entender o momento da empresa. Um negócio que começa agora tem outras necessidades mais urgentes. Então, se a reforma não for essencial (como acontece com uma franquiapor exemplo), é melhor adiá-la.

Uma empresa estruturada e com maior previsibilidade de receita, por outro lado, consegue investir no visual com segurança.

Previsão de ocupação do espaço

Não menos importante, veja há quanto tempo o contrato está vigente e o quanto ainda resta. Se a renovação não for automática, fazer uma grande reforma – com o prazo de vencimento próximo – não é a melhor saída.

As motivações para reformar ponto comercial alugado x objetivo

Para fazer a escolha certa, é importante entender quais são as suas principais motivações para reformar.

Reparos estruturais são urgentes, mas otimizações do espaço e destaques no ponto de venda podem esperar, dependendo da sua situação. Para cruzar isso com os objetivos e entender o custo-benefício, é interessante refletir em alguns fatores.

Não sabe como? Trouxemos algumas dicas valiosas!

Analise o impacto no funcionamento do negócio

Também é preciso pensar se essa mudança altera o funcionamento do estabelecimento, pois algumas reformas exigem que a empresa fique fechada, sem produzir.

Ainda, para que tudo seja regulamentado, é necessário:

  • atender às legislações e normas;
  • obter autorizações e
  • passar por novas vistorias.

Lembre-se: tudo isso leva tempo. Então, não faça nada antes de conhecer os impactos no seu cotidiano.

Avalie quais serão os resultados no negócio

Considere o que o empreendimento ganhará com a reforma.

Faça uma projeção do retorno sobre o investimento, ou seja, da relação de lucros sobre os custos. Se o retorno for positivo e grande o bastante, a reforma é uma boa saída. Do contrário, deve sair da lista de prioridades.

Depois de pensar em tudo isso, você saberá se reformar ponto comercial alugado é ou não interessante. Não deixe de avaliar a localização, afinal, esse é um aspecto que tem uma intensa interferência no desempenho do seu negócio.

Afinal, você sabe se sua empresa está no lugar ideal? Entenda.